DICIONARIO FOTO

download DICIONARIO FOTO

of 125

  • date post

    04-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    444
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of DICIONARIO FOTO

N D I C E

A .................................................................................................................... B .................................................................................................................... C .................................................................................................................... D .................................................................................................................... E .................................................................................................................... F .................................................................................................................... G .................................................................................................................... H .................................................................................................................... I .................................................................................................................... J .................................................................................................................... K .................................................................................................................... L .................................................................................................................... M .................................................................................................................... N .................................................................................................................... O .................................................................................................................... P .................................................................................................................... Q .................................................................................................................... R .................................................................................................................... S .................................................................................................................... T .................................................................................................................... U .................................................................................................................... V .................................................................................................................... W .................................................................................................................... X .................................................................................................................... Y .................................................................................................................... Z .................................................................................................................... Bibliografia ..................................................................................................... Pensamentos .................................................................................................

03 20 24 41 47 55 65 67 70 74 75 76 82 87 89 94 106 107 111 115 120 121 124 124 124 125 126 127

2

3

AA OU AN Abreviatura usada em frmulas para laboratrio, significando: " a mesma quantidade de cada" . Empregada depois da lista de vrios ingredientes. ABAXIAL Que no est no eixo. Costuma-se dizer do raio de luz que no coincide com o eixo ptico, como, por exemplo, o raio que passa pela margem de uma lente. ABERRAO Defeito de uma lente ou de uma objetiva que impede a formao de uma imagem perfeita. A aberrao pode ser: a) cromtica; b) de esfericidade; c) de coma; d) de astigmatismo; e) de curvatura de campo; f) de distoro. g) ( Ver os respectivos verbetes) A eliminao dos verbetes chama-se correo. ABERRAO CROMTICA Impede a formao, no mesmo plano, das imagens de elementos diversamente coloridos do assunto, de maneira que, conforme suas cores, aparecem ntidos em diversos planos, o que torna impossvel uma focalizao perfeita do conjunto. ABERRAO CROMTICA AXIAL Essa imperfeio das lentes consiste em que os raios luminosos dos diversos comprimentos de onda (das diversas cores) convergem a distncias diferentes, Posio do diafragma. Se este estiver diante da lente, a curvatura ser interior, e se estiver atrs formando assim imagens que no s no coincidem num nico plano como apresentam escalas diferentes. Desse modo, a imagem global obtida no tem a nitidez desejada. As objetivas compostas corrigem a aberrao cromtica combinando elementos fabricados com vidros de diferentes ndices de refrao. Inicialmente, a correo era feita apenas para dois comprimentos de onda (correspondentes ao azul e ao amarelo), obtendo-se as objetivas ditas Acromticas. Com o desenvolvimento da fotografia a cores, porm, esta correo deixou de ser suficiente e foi necessrio recorrer s objetivas ditas Apocromticas, nas quais uma combinao mais aperfeioada de vidros com caractersticas diferentes (alguns dos quais fabricados com as chamadas terras raras) permite fazer coincidir as imagens produzidas pelas trs cores primrias. ABERRAO DE COMA Impede a formao de imagens ntidas produzidas por raios vindos do infinito, paralelos entre si, mas oblquos em relao ao eixo tico. Este defeito, devido refrao dos raios luminosos, corrige-se colocando uma lente convergente a outra, divergente. ABERRAO DE CURVATURA DE CAMPO O plano onde a imagem se forma, uma superfcie curva. Corrige-se esta aberrao pela combinao de lentes divergentes e convergentes, que tem o mesmo defeito, mas em sentido oposto. ABERRAO DE DISTORO s na parte central da objetiva que as linhas paralelas esto sendo reproduzidas como tais, ficando curvas nas extremidades. As curvas estendemse para dentro ou para fora, conforme a posio do diafragma. Se este estiver diante da lente, a curvatura ser interior, e se estiver atrs, exterior. Chamam-se retilneas as objetivas isentas desta aberrao ABERRAO DE ESFERECIDADE Os raios paralelos ao eixo tico so desigualmente desviados, os centrais

4

menos, os marginais mais. Aparecem, portanto, vrias imagens. O centro da imagem ntido, mas no os bordos. Corrige-se a aberrao de esfericidade unindo lente convergente outra divergente, com o mesmo defeito, mas em sentido inverso. A lente ou objetiva assim corrigida chama-se aplantica. Veja este verbete. ABERRAO, ISENTA DE Diz-se de uma objetiva sem quaisquer defeitos ticos. ABERTURA Inicialmente, o orifcio na parede frontal da cmara, pelo qual entra a luz para gravar a imagem fotogrfica. Nas cmaras modernas, o espao dentro da objetiva pelo qual passa a luz. Quanto maior a abertura tanto mais luz pode entrar. A abertura ajustvel, dentro de certos limites, podendo ser aberta (= aumentada) e fechada (=diminuda) por meio de um mecanismo de regulagem chamado diafragma. Nas cmaras modernas, o diafragma chama-se ris (tipo palhetas). ABERTURA ANGULAR Razo proporcional quantidade de luz que passa pela objetiva, sendo igual razo entre a abertura desta e a sua distncia focal. Quanto maior a abertura angular de uma objetiva, tanto menor ser a profundidade de foco. Quase, porm no exatamente o mesmo que abertura efetiva. Nos clculos de tica este o valor usado para a determinao da profundidade de foco e da profundidade de campo. ABERTURA, REA DE A rea til para a entrada da luz geralmente calculada em milmetros quadrados. proporcional quantidade de luz que atinge o filme ou chapa sensvel colocada na cmara. Quanto maior a rea tanto maior a quantidade de luz admitida.

ABERTURA DE FUNCIONAMENTO DO DIAFRAGMA Na cmara mono-reflex a imagem refletida mais forte quando o diafragma est bem aberto. Por isso a regulagem da acuidade e distncia geralmente feita nestas condies. A abertura de funcionamento aquela com que feita a fotografia e geralmente menor que a primeira. ABERTURA EFETIVA A rea lquida e til do orifcio pelo qual a luz passa ao filme ou chapa para produzir a imagem. Esta ligeiramente menor do que a abertura real do furo, devido difrao ou dobramento dos raios junto s bordas da objetiva. ABERTURA FOCAL A abertura efetiva da lente quando dividida pela distncia focal. Ela indica a velocidade ou luminosidade relativa da objetiva com uma dada abertura. Exemplo: se a abertura efetiva de uma polegada e o comprimento focal no infinito de duas polegadas a abertura focal relativa de 1:2, tambm expressa assim F:2 ou F/2. O mesmo que abertura relativa. ABERTURA MXIMA a abertura relativa da objetiva quando o diafragma se encontra totalmente aberto. Por ela se avalia, geralmente, a luminosidade da objetiva. De resto, ambos os termos so utilizados na linguagem corrente com o mesmo significado. Por exemplo: se uma objetiva de 50mm. de distncia focal tiver uma abertura til mxima de 25mm. de dimetro, a sua abertura relativa mxima ser de 1:2. Esta indicao vem gravada no aro do elemento frontal (ou, em vez dela, a da abertura til mxima, f:2). costume chamar-se luminosidade da objetiva. ABERTURA TIMA Abertura relativa com a qual a objetiva d a imagem mais ntida que lhe possvel. Depende do tipo e qualidade do instrumento. Veja Difrao.

5

ABERTURA RELATIVA o quociente do dimetro da abertura til pela distncia focal da objetiva. O seu inverso o ndice de abertura, e na prtica corrente vulgar falar-se deste em seu lugar. ABERTURA TIL o dimetro, expresso em mm. ou cm. da pupila de entrada, isto , da imagem do diafragma formada pelos elementos da objetiva que se encontram frente deste. A medida da abertura til influencia, mas no determina exclusivamente, o fluxo luminoso que a objetiva transmite. Ver Abertura Relativa. ABRASO Raspagem produzida na superfcie de um objeto pelo atrito com outro. Nos negat